Faltam para portes grátis
Excepto envio para ilhas

Normas técnicas

 

Classificações dos Lubrificantes

Para facilitar a escolha do lubrificante correto para veículos automóveis várias são as classificações, sendo as principais SAE e API.

Classificação SAE:

Estabelecida pela Sociedade dos Engenheiros Automoveis dos Estados Unidos, classifica os óleos lubrificantes pela sua viscosidade, que é indicada por um número. Quanto maior este número, mais viscoso é o lubrificante e são divididos em três categorias:

Óleos de verão: SAE 20, 30, 40, 50, 60;

Óleos de inverno: SAE 0W, 5W, 10W, 15W, 20W, 25W;

Óleos multiviscosos (inverno e verão): SAE 20W-40, 20W-50, 15W-50. Observação: a letra "W" vem do inglês "winter", que significa inverno.

Classificação API:

desenvolvida pelo Instituto Americano do Petróleo, também dos Estados Unidos da América, baseia-se em níveis de desempenho dos óleos lubrificantes, isto é, no tipo de serviço do qual a máquina estará sujeita. São classificados por duas letras, a primeira indica o tipo de combustível do motor e a segunda o tipo de serviço. Os óleos lubrificantes para motores a gasolina, álcool e GPL de 4 tempos atualmente no mercado são: O óleo SJ é superior ao SH, isto é, o SJ passa em todos os testes que o óleo SH passa, e em outros que o SH não passa. O Óleo SH por sua vez é superior ao SG, assim sucessivamente.

Os óleos lubrificantes para motores a gasolina 2 tempos, como os usados em motoserras, abrangem 3 níveis de desempenho: API TA, TB e TC.

A classificação API, para motores diesel, é mais complexa que para motores a gasolina, álcool e GNV, pois devido às evoluções que sofreu, foram acrescentados números, para indicar o tipo de motor (2 ou 4 tempos) a que se destina o lubrificante.

 

Principais Aprovações

API

Com uma classificação original de óleos em "Regular", "Premium" e "HD" esta classificação não distinguia entre óleo para motores diesel ou motores a gasolina.

As especificações norte-americanas, ou especificações API, foram criadas em 1947 e distinguem entre veículos a gasolina (S) e a diesel (C).

CLASSIFICAÇÃO API GASOLINA

SH: Indicado para motores a gasolina em uso normal, de acordo com as recomendações de manutenção do fabricante. Excedem a anterior norma API SG no controle de depósito, controle da oxidação e proteção contra o desgaste, ferrugem e corrosão.

SH + EC e SH EC II: Lubrificante de Qualidade SH. Características de poupança de combustível comparada com um óleo de referência SAE 20W-30. EC: Economia minima de 1,5%; EC II Economia minima de 2,7%

SJ: Projetado para uso em motores a gasolina, de acordo com as recomendações de manutenção do fabricante. Requisitos mais rigorosos do que API SH. Introduzido em 1997

SJ + EC: Lubrificante de qualidade SJ. Características de poupança de combustível comparavel com óleo SAE 5W-30. Economia mínima entre 1,4% e 0,5% de acordo com as viscosidades. Superior a SH + EC II

SL: Projetado para uso em motores a gasolina de acordo com as recomendações de manutenção do fabricante. Excede API SJ no controle da formação de depósitos a altas temperaturas, levando a motores mais limpos e a um controlo da oxidação, aumentando assim sua vida útil; reduzão de volatilidade em cerca de 30% em comparação com API SJ, o que reduz significativamente o consumo de lubrificante. Introduzida em 2001.

CLASSIFICAÇÃO API DIESEL

CF-4: Lubrificante para motores diesel de 4 tempos. Supera a anterior API CE na redução do consumo de lubrificante e no controle da formação de depósitos nos pistões. Indicado para veículos ligeiros e pesados. Introduzido em 1990

CF: Motores de injeção indireta e outros tipos de motores a diesel aspirados ou turboalimentados. Excelente controle de depósitos nos pistões, de desgaste e corrosão. Introduzido em 1994.

CF-2: Motores diesel de dois tempos com utilização intensiva. Excelente controlo de depósitos, protecção de pistões e segmentos. Introduzido em 1994

CG-4: Motores diesel a quatro tempos utilizados em veículos pesados tanto de estrada como de obras públicas. Excelente controlo de depósitos nos pistões, propriedades antidesgaste, anti-corrosão, contra a formação de espuma, estabilidade à oxidação e contra a acumulação de fuligem. Introduzido em 1994

CH-4: Seu objetivo é aumentar o tempo entre as mudanças de óleo, reduzindo os custos de operação. Insatisfação com a CG-4. Introduzido em 1999

CI-4: Lubrificantes para motores diesel rápidos de quatro tempos, desenhados para atender às especificações de emissões de 2004. Aplicavel em combustíveis com teores de enxofre inferior a 0,05% em peso. Especialmente eficaz em motores com recirculação de gases de escape (EGR). Melhora a proteção contra corrosão, estabilidade em altas e baixas temperaturas, controle de cinzas, controle dos depósitos nos pistões, desgaste reduzido na árvore de cames, redução da oxidação, evitando a formação de espuma e reduzir a perda de viscosidade devido ao cisalhamento. Foi introduzido em 2002.

 

Normas ACEA

Motores a Gasolina/Diesel

A1/B1

Óleos recomendados para motores a gasolina ou diesel, ligeiros ou comerciais. São óleos especiais de baixa viscosidade, com um intervalo de viscosidade em condições de "High Temperature/High Shear" (HTHS) de 2,6 a 3,5mPa’s,

A3/B3

Óleos de graduação estável (“stay-in grade”) para motores a gasolina e diesel de altas prestações. Recomendado também para intervalos de mudança de óleo prolongados e condições de trabalho severas.

A3/B4

Óleos de graduação estável (“stay-in grade”) recomendados para uso em motores de altas prestações a gasolina e diesel de injecção directa de ligeiros e comerciais, também para intervalos de mudança de óleo prolongados em condições de trabalho severas.

A5/B5

Óleos de graduação estável (“stay-in grade”) recomendados para intervalos de mudança prolongados em motores especiais de altas prestações a gasolina e diesel de ligeiros e comerciais. São óleos especiais de baixa viscosidade com um intervalo de viscosidade em condições de "High Temperature/High Shear" (HTHS) de 2,6 a 3,5mPa’s

Motores a Gasolina/Diesel com filtro de partículas (DPF)

C1

Óleos com HTHS reduzido (viscosidade em condições HTHS 2.9 mPa’s), para uso em veículos com filtros de partículas (DPF) e catalisador de 3 vias (TWC) de ligeiros de elevadas performances, comerciais diesel e motores a gasolina.

C2

Óleos com HTHS reduzido (viscosidade em condições HTHS 2.9 mPa’s), para uso em veículos com filtros de partículas (DPF) e catalisador de 3 vias (TWC) de ligeiros de elevadas performances, comerciais diesel e motores a gasolina, preparados para usar óleos de baixa fricção e de baixa viscosidade.

C3

Óleos Mid SAPS com HTHS reduzido (viscosidade em condições HTHS 2.9 mPa’s), para uso em veículos com filtros de partículas (DPF) e catalisador de 3 vias (TWC) de ligeiros de elevadas performances, comerciais diesel e motores a gasolina, preparados para usar óleos de baixa fricção e de baixa viscosidade.

C4

Óleos Low SAPS com HTHS tradicional (>3.5 cP) , para uso em veículos com filtros de partículas (DPF) e catalisador de 3 vias (TWC) de ligeiros de elevadas performances. Especialmente recomendados para motores Renault de ligeiros e comerciais diesel com DPF. Concentração de aditivos diferente de C3.